Moradora de Tibagi comemora 121 anos e município busca reconhecimento - Mais FM 100.5.

Contudo ela não figura entre as pessoas mais velhas do mundo, oficialmente.

A publicação do site da prefeitura do município cita que a moradora está “esbanjando vitalidade, em pleno início da terceira década do século 21”. Amantina dos Santos Duvirgem, ou simplesmente Dona Júlia, mora na localidade de Serra Gaias, no distrito de Caetano Mendes (a 35 km da sede do município), e teria completado 121 anos no dia 22 de junho. Contudo ela não figura entre as pessoas mais velhas do mundo, oficialmente.

“Mesmo com a idade de 121 anos comprovada por documentação e testemunho de pessoas que conviveram com Amantina dos Santos Duvirgem, a Dona Júlia, o seu nome não aparece em listas de rankings oficiais, como o Guinness World Records e o Gerontology Research Group (GRG)”, descreve a prefeitura. A francesa Jeanne Calment, que chegou à idade de 122 anos e 164 dias quando faleceu em 1997 é a pessoa que mais viveu oficialmente.

A japonesa Kane Tanaka, nascida em 2 de janeiro de 1903, com 118 anos e 207 dias é considerada a mulher mais velha do mundo atualmente. Sendo mais nova que Dona Júlia. “Olha, é um fato bem relevante, porque chegar a 100 anos é uma vida muito longa, e aos 121, que nem a Dona Júlia, tem mais é que dar os parabéns, desejar muito sucesso e que ela tenha um bom tempo, ainda”, opina o prefeito Artur Butina.

Conforme relata a assistente social Helen Cristina Pereira, que trabalha no Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Dona Júlia, que mede cerca de 1,5 m, mora em uma casa “que foi toda adaptada para ela”, em Serra Gaias, e recebe os cuidados de Maria Edenir Lúcio. “A Dona Júlia não fala, mas entende tudo o que é falado pra ela”, explica a profissional. Sua alimentação preferida é bolo de polvilho “de Tibagi” e ovo cozido.

“Ela não tem diabetes, dor de cabeça e nem pressão alta. Não toma remédio e não tem cabelo branco. E adora usar brincos e pulseiras”, explica Helen. Atualmente, Dona Júlia é beneficiária do BPC (Benefício de Prestação Continuada) e acompanhada pela Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social. Em 2015 ela foi adotada por uma família e dois anos depois fez o título de eleitora em Tibagi. Autoridades, ainda, buscam reconhecimento de sua idade.

Da redação com informações da prefeitura de Tibagi e foto divulgação/Jessica Perez dos Santos

Comentários