Governo federal anuncia nova troca na presidência da Petrobras - Mais 100.5 FM

José Mauro Coelho deixa o cargo após 39 dias e meio à diversas críticas do presidente Jair Bolsonaro.

O governo federal anunciou uma nova troca na presidência da Petrobras na noite desta segunda (23). Em nota, o Ministério de Minas e Energia informou a demissão de José Mauro Coelho após pouco mais de um mês na chefia da estatal e a indicação de Caio Mário Paes de Andrade para o cargo.

Caio Paes de Andrade é formado em Comunicação Social pela Universidade Paulista, pós-graduado em Administração e Gestão pela Harvard University e Mestre em Administração de Empresas pela Duke University. O novo indicado respondia pela Secretaria de Desburocratização no Ministério da Economia. É um nome de confiança da equipe de Paulo Guedes para assumir posto importante nessa área energética.

“Portanto, o indicado reúne todos as qualificações para liderar a Companhia a superar os desafios que a presente conjuntura impõe, incrementando o seu capital reputacional, promovendo o continuo aprimoramento administrativo e o crescente desempenho da Empresa, sem descuidar das responsabilidades de governança, ambiental e, especialmente, social da Petrobras”, disse o governo em nota.

Para assumir a estatal, o indicado Caio Paes precisa ser aprovado pelo Comitê de Pessoas da Petrobras, cuja maioria é governista.

O governo justificou a mudança devido dizendo que o Brasil vive um momento “desafiador, decorrente dos efeitos da extrema volatilidade dos hidrocarbonetos nos mercados internacionais. ”

“Adicionalmente, diversos fatores geopolíticos conhecidos por todos resultam em impactos não apenas sobre o preço da gasolina e do diesel, mas sobre todos os componentes energéticos. Dessa maneira, para que sejam mantidas as condições necessárias para o crescimento do emprego e renda dos brasileiros, é preciso fortalecer a capacidade de investimento do setor privado como um todo. Trabalhar e contribuir para um cenário equilibrado na área energética é fundamental para a geração de valor da Empresa, gerando benefícios para toda a sociedade”, disse o comunicado.

A mudança é mais um sinal de que o presidente Jair Bolsonaro quer mudar a política de preços dos combustíveis, que é baseada na variação do dólar e do barril de petróleo. Em quase três anos e meio de governo, a estatal já vai para seu quarto presidente. Além de Coelho, passaram pela empresa Roberto Castello Branco e Joaquim Silva e Luna.

Posse e demissão
José Mauro Coelho tomou posse como presidente da Petrobras no dia 14 de abril. Na época, ele chegou a agradecer ao presidente Bolsonaro pela indicação e ao conselho pela aprovação de seu nome.

Coelho substituiu o general Joaquim Silva e Luna, que deixou o cargo em meio a críticas do governo sobre os altos preços dos combustíveis.

Críticas de Bolsonaro
A Petrobras foi alvo de diversas críticas do presidente Jair Bolsonaro neste ao devido aos aumentos nos preços dos combustíveis. Em um evento, o chefe do Palácio do Planalto sugeriu que a estatal brasileira apertasse o cinco para “salvar o Brasil”, assim “como as petrolíferas do mundo”.

"Todos têm que ter consciência, apertar o cinto, salvar o Brasil, como as petrolíferas do mundo todo, exceto a Petrobras Futebol Clube. Essa está preocupada em ser campeã do mundo", disse.

José Mauro chegou a responder uma das críticas de Bolsonaro sobre o lucro da estatal e disse que lucro de R$ 44 bilhões no primeiro trimestre deste ano não resultou apenas do aumento nos valores dos combustíveis, mas principalmente das atividades de exploração do petróleo.

O resultado de R$ 44 bilhões no primeiro trimestre de 2022 foi 38 vezes maior do que no mesmo período em 2021 e 41% maior do que nos três meses anteriores. A dívida líquida caiu 16%, para R$ 40 bilhões.

 

Comentários